O que é Hipogonadismo Masculino [ Veja esse Guia Completo ]

hipoganandismo-masculinoO hipogonadismo, como o próprio nome sugere, é uma doença nas gônadas, ou seja, nos testículos dos homens ou no ovário da mulher. No caso do hipogonadismo masculino, é um problema que afeta o testículo mesmo.

Nesse caso, as gônadas não produzem a quantidade adequada de hormônios sexuais, como a testosterona em homens. Mais do que isso, os testículos podem ainda não produzir a quantidade adequada de espermatozoides.

Por causa dessa produção hormonal que é baixa ou inexistente, o homem ainda pode apresentar um órgão sexual não desenvolvido, especialmente quando o problema ocorre ainda na puberdade.

Então, se você está interessado nesse assunto e quer saber tudo sobre ele, continue lendo e descubra todos os detalhes sobre o hipogonadismo masculino. Vamos lá?!

Hipogonadismo hipogonadotrófico

Hipogonadismo-hipogonadotróficoPrimeiramente, é preciso lembrar que o funcionamento das gônadas ocorre sob o comando de uma outra glândula que se chama hipófise.

A hipófise, por sua vez, fica localizada na base do cérebro e é a responsável pela produção de hormônios como o FSH e o LH. São esses hormônios que fazem com que os testículos funcionem.

A partir daí já é possível começar a diferenciar os diferentes tipos de hipogonadismo masculino e feminino.

Então, quando o quadro de hipogonadismo ocorre por problemas direto nas gônadas, que podem apresentar doenças ou não produzirem hormônios, temos o chamado hipogonadismo hipogonadotrófico.

Esse quadro também é chamado por alguns médicos de hipogonadismo primário, embora seja um termo menos aceito atualmente.

Já quando o problema de mal funcionamento das gônadas ocorre por uma disfunção da hipófise, temos o que é chamado de hipogonadismo hipogonadotrófico, que também pode ser chamado de hipogonadismo secundário.

Existe ainda a possibilidade de determinar qual o tipo de hipogonadismo levando em consideração o seu tempo de surgimento.

Isso porque em determinados casos, o paciente já nasce com o problema, que é chamado de hipogonadismo congênito. Em outros casos, porém, a pessoa desenvolve o problema após o nascimento, que é chamado de hipogonadismo adquirido.

Hipogonadismo causas

principais-causas

Sem dúvidas, existem muitas causas para o hipogonadismo masculino e feminino. Nos dias de hoje, considerando homens adultos, a causa mais comum para o hipogonadismo masculino é a obesidade, visto que exerce uma influência negativa sobre a função hipofisária e os testículos.

Mais do que isso, pancadas, traumas e infecções nos testículos também podem ser consideradas causas, tal como a caxumba.

O uso de medicamentos ilícitos, como quimioterápicos e opioides também podem gerar uma influência negativa na função da hipófise, tanto em homens quanto em mulheres, além de alterar a função das gônadas.

Outra causa que deve ser considerada é a presença de distúrbios hormonais não tratados, tais como o hipertireoidismo.

Levando em consideração o ponto de vista das causas congênitas, entre os homens a mais comum é a síndrome de Turner.

No entanto, existem também algumas causas menos comuns, porém que não podem ser desconsideradas nessa lista, tais como:

  • Patologias (doenças) autoimunes, nas quais o próprio sistema imune produz anticorpos para atacar as defesas do organismo. Nesse caso, passa a atacar os ovários ou os testículos ao invés de atacar os agentes nocivos.
  • Hemocromatose: nessa doença, o organismo passa a depositar ferro nos tecidos, o que pode acabar danificando a hipófise ou as gônadas.
  • Síndrome de Kallmann, HIV, tumores hipofisários e até mesmo outras patologias crônicas podem levar ao surgimento do hipogonadismo.
  • O emagrecimento também pode ser considerado uma das causas menos comuns do hipogonadismo masculino e feminino, especialmente em mulheres que são atletas.
  • Radiação e cirurgias: esses tipos de procedimentos, quando são realizados em áreas próximas à hipófise, testículos ou ovários, pode causar problemas na função das gônadas.

O mais importante de tudo é sempre contar com a avaliação de um médico, a realização de exames e o acompanhamento profissional, tanto para diagnosticar o problema, como para trata-lo da forma mais adequada.

Hipogonadismo sintomas

diminuição-dos-testiculos

Como já foi dito anteriormente, o hipogonadismo masculino pode ocorrer por problemas direto nas gônadas ou por problema na hipófise, que controla as gônadas. Por isso, os sintomas podem variar de acordo com a origem do problema.

No entanto, de uma forma geral, os sintomas mais comuns do hipogonadismo em homens adultos são os seguintes:

  • Baixo apetite sexual (libido)
  • Dificuldade de obter uma ereção
  • Diminuição dos pelos corporais, incluindo axilas, barba e pelos pubianos.
  • Diminuição na produção de esperma
  • Problemas de fertilidade, com dificuldade e engravidar a sua parceira
  • Aumento da gordura corporal e perda de massa muscular
  • Falta de energia, fadiga e desânimo

Nas mulheres, claro, os sintomas são diferentes e podem apresentar variações dependendo da origem.

Hipogonadismo feminino

hipoganandismo-feminino

O hipogonadismo feminino é quando as gônadas, ou ovários, param ou diminuem a produção dos hormônios femininos, tais como a progesterona e o estrogênio.

Embora não tenha cura, esse é um tipo de problema que tem tratamento e pode ser controlado com uso de medicação.

De uma forma geral, tanto em homens quanto em mulheres o hipogonadismo é um problema diagnosticado na puberdade.

A classificação é a mesma que no caso dos homens, ou seja, primário quando os ovários não apresentam boa função, e secundário quando a hipófise tem problemas e influencia no trabalho das gônadas.

No caso do hipogonadismo feminino, os principais sintomas são os seguintes:

  • Alterações nos ciclos menstruais, podendo ocorrer a amenorreia, que é a ausência dos mesmos por mais de 3 meses seguidos
  • Dificuldade de conseguir engravidar
  • Diminuição do desejo sexual
  • Diminuição dos pelos corporais, incluindo pelos pubianos e axilas
  • Fogachos, que são as ondas de calor comuns em mulheres que estão na menopausa.

Nas crianças, o hipogonadismo pode ser notado pela ausência da puberdade, tanto em meninos quanto em meninas. Nas meninas, os sintomas são o não desenvolvimento das mamas, ausência de pelos pubianos e ausência de menstruação até os 14 anos de idade.

Tratamento Hipogonandismo

tratamentos

O diagnóstico do problema pode ser feito pelo histórico do paciente, bem como de exames físicos. No entanto, a confirmação do hipogonadismo masculino e feminino deve ocorrer através de exames complementares.

Para isso, muitos exames podem ser solicitados, de acordo com a necessidade de casa caso e também com o sexo do paciente.

Feito o diagnóstico, é possível determinar a causa do hipogonadismo, o que é essencial para determinar o melhor tratamento.

Sendo assim, em alguns casos, quando a causa é um tumor na hipófise, uma cirurgia pode ser a melhor alternativa, bem como o uso de medicamentos no caso de tumores produtores de prolactina.

No entanto, é preciso ressaltar que, na maioria os pacientes que apresentam o hipogonadismo masculino, as causas não são tratáveis, tal como acontece no caso de uma lesão causada por trauma ou doença autoimune.

Nesse caso, embora não haja cura, o tratamento irá consistir na terapia de reposição de hormônios sexuais que estão deficientes.

Em outros casos, porém, quando o paciente quer fertilizar e a doença inicial não provém da gônada, como uma lesão hipofisária pós-radiação, podem ser realizados tratamentos de estimulação dos testículos e ovários.

Remédios

Novamente, vale lembrar que os medicamentos serão indicados de acordo com as causas do hipogonadismo masculino. No entanto, os mais utilizados no tratamento são os seguintes: Durateston ou Deposteron.

É importante ressaltar que somente o médico é que poderá determinar qual é o medicamento mais indicado para casa caso, bem como a duração do tratamento e a dosagem indicada do mesmo.

O mais importante para um tratamento de sucesso é seguir as recomendações médicas à risca e nunca recorrer à automedicação.

O uso dos medicamentos indicados também não deve ser interrompido sem que haja conhecimento e recomendação médica, a fim de ter o melhor resultado.

Pronto, agora você já sabe um pouco mais sobre o hipogonadismo masculino e também sobre o feminino, o que é, as causas e como lidar com o problema. Aproveite essas dicas e consulte um médico!

Leave a Reply